Poesia-me

A melodia parou

Um silêncio barulhento

Afetos de quem não ama

No espelho fragmentos

Olhares perdidos, tristes

Sombras do passado
A música canta as emoções

Os olhos derramam-nas

Caem gota a gota no rosto sofrido

De um corpo que embala a mágoa

Paixão fugidia de um coração ferido
Neste ténue compasso da vida

Não somos mais do que notas soltas

Tocadas por pianos mortos

Desejando vida…

Sons mudos, danças paradas

Na cadência de sonhos perdidos.

Ver o post original